Calma. Se você já comprou sua passagem para Roma não precisa cancela-lá em virtude do título. A capital da Itália é um dos museus a céu aberto mais fascinantes do mundo e tem muitas atrações interessantes que vão encantar você.

O problema de Roma é que toda a Itália tem muitas atrações de peso que fazem a cidade do Vaticano perder um pouco de brilho frente às grandes expectativas que a maioria das pessoas carregam. Acompanhe agora nossa história e tire suas próprias conclusões.

Maio de 2014

Nossa trip pela Europa estava chegando em seu terceiro destino. Após Amsterdã na Holanda entramos de avião em território italiano pela surpreendente Florença. Três dias explorando a região da Toscana e pegamos um trem (na Itália funciona MUITO BEM) rumo a famosa cidade do Coliseu.

Terminal Ferroviário de Roma

Nosso hotel estava a menos de 1 km deste que é um dos principais terminais de Roma. Sua localização é perfeita e vai lhe permitir fazer as principais atrações de Roma a pé mesmo. Para se ter uma idéia o Coliseu fica a menos de 2 km deste terminal.

Malas deixadas no hotel, tênis confortável e desodorante renovado partimos para fazer aquilo que permite termos as melhores experiências para conhecer qualquer local no mundo: “bater pernas”.

Coliseu (Mas já?!)

Você vai para Paris e pensa no que? (Torre Eiffel). Nova York (Times Square), Rio de Janeiro (Cristo e Pão de Açúcar). E Roma? O que vem na cabeça? Salvo algumas exceções o esplêndido Coliseu é o local que ao pisar na cidade cria-se aquela ansiedade de se conhecer logo. E como estávamos perto partimos rumo a “arena”.

Coliseu

O Coliseu foi construído por ordem do imperador Vespasiano e concluído, durante o governo de seu filho Tito. Os assentos eram de mármore e a escadaria  ou arquibancada dividia-se em três partes, correspondentes às diferentes classes sociais: o podium, para as classes altas; a meaniana, setor destinado à classe média; e os pórticos, para a plebe e as mulheres. A tribuna imperial ficava no podium. Por cima dos muros ainda se podem ver as bases de sustentação da grade de cobertura de lona destinada a proteger do sol os espectadores. Para evitar problemas nas saídas dos espetáculos, os arquitetos projetaram oitenta escadarias de saída. Em menos de três minutos, o Coliseu podia ser totalmente evacuado. Suas arquibancadas tinham capacidade para 80  mil pessoas. (Que louco não?!)

Interior do Coliseu

Conta a história que os gladiadores lutavam na arena e que o Coliseu, era o lugar onde os cristãos eram lançados aos leões. Para a inauguração, apenas oito anos depois do início das obras, em 80 d.C., as festas e jogos duraram cem dias, durante os quais morreram 9 mil animais e 2 mil gladiadores.

As atividades do Coliseu foram encerradas em 523 d.C., mas o espaço permanece carregado de uma clima misterioso e símbolo do Império Romano e da cidade eterna.

Tivemos a oportunidade de ir duas vezes ao Coliseu em nossa passagem por Roma. Sem sombra de dúvidas ele, o Fórum Romano e o Panteão são paradas obrigatórias para quem quer saber mais sobre um dos mais famosos povos da antiguidade.

Quase 2000 anos de história que sobrevive até hoje

Agora atenção. Tivemos uma experiência ruim DENTRO do Coliseu. A bolsa da Gisele foi aberta e várias coisas de dentro dela foram levadas. Buscamos a segurança e um guarda sem vontade nenhuma apenas nos disse: “Isso é normal, não tem o que fazer…”.  Normal?!?

Estávamos dentro (não na rua) da atração mais famosa da cidade que inclusive é paga e as pessoas são furtadas tudo dentro da “normalidade”? Nessas horas temos que parar de falar tanto mal do nosso país não é mesmo? Estivemos no Rio e nada disso ocorreu com a gente.

Panteão e Fonte di Trevi

Ao caminhar pela parte histórica de Roma você vai se deparar por uma quantidade enorme de Igrejas, Praças e Ruínas que valem belas fotos. Quem ama história terá um prato cheio de fatos interessantes para aprender e vivenciar.

Placa explicativas como essa são encontradas em todas as ruínas
Foro di Nerva

Agora um dos monumentos que mais nos chamou a atenção pela sua história e pelo nível de conservação foi o Panteão Romano.

Panteão Romano

Gigante e imponente ele passou através de todas as épocas da nossa história. Conheceu a Roma antiga, medieval, papal, renascentista, até se tornar uma estrela da Roma capital, quando foi escolhido, pelos Reis da Itália unificada, como sacrário do novo reino.

Interior do Panteão

A cúpula foi restaurada pouquíssimas vezes ao longo dos séculos e ainda mantém-se em pé, depois de quase 2000 anos. Não existem pilares ou colunas para sustentá-la isso graças aos diferentes tipos de materiais que os arquitetos romanos usaram na construção. A medida que se sobe, os materiais se tornam sempre mais leves: no estrato mais próximo da base há uma mistura de argamassa e lascas de tijolos, subindo, há argamassa com lascas de tufo e na parte superior, próxima da abertura, a argamassa é misturada com rapilhos vulcânicos.

Seguimos nossa caminhada, mas primeiro uma parada para aquele famoso “gelato”.

Essa é uma das sorveterias mais famosas de Roma

Antes de chegarmos a Fonte di Trevi demos uma lida em sua principal lenda. “No ano de 19 a.C., alguns soldados romanos estavam sedentos e sem água para beber. Uma jovem garota, então, teve piedade deles e os levou até uma fonte de água pura, que ficava a 13 quilômetros da cidade. O imperador Augustus, ao saber disso, criou um aqueduto de 22 km levando a água da fonte até a cidade, e nomeou a obra como Acqua Virgo, ou seja, Águas Virgens, em homenagem à jovem da lenda. Uma fonte então foi construída sobre o ponto em que o aqueduto terminava: em uma intersecção de três ruas. Devido ao formato de trevo desta intersecção, a fonte recebeu o nome de Fontana di Trevi”.

Fontana di Trevi de dia

 

Fontana di Tevi à noite

Nesta fonte você terá a oportunidade de jogar sua moedinha para fazer seu pedido e ter sorte para retornar a Roma um dia. A grande verdade é que essa história da moedinha gera mais de dois mil euros recolhidos por dia e que são encaminhados para a caridade.

E o Vaticano?

Sendo você Católico ou não, vale a pena dar uma passadinha pela famosa praça onde as pessoas de anos em anos se reúnem em uma vigília para aguardar uma nova fumaça branca sair da chaminé anunciando o novo papa.

Fila para entrar no Museu do Vaticano

Na boa, se você quer conhecer em detalhes o Vaticano prepare-se para uma fila quilométrica. Por detalhes entenda-se a entrada em seu museu e passeios especiais. Como não tínhamos tanto tempo assim optamos apenas por conhecer a famosa Praça de São Pedro e topamos uma fila de 50 minutos para conhecer sua Basílica.

Praça de São Pedro (aquela Janelinha lá no meio é onde o papa escolhido aparece pela primeira vez)
Fila para entrar na Basílica
Dentro da Basílica de São Pedro

Percebe-se claramente o quanto a Igreja é rica e cheia de posses. Não estamos aqui para discutir religião, mas curtimos muito mais a figura e palavras do nosso Papa Francisco do que todo esse glamour e ouro que a Igreja “erroneamente” gosta de mostrar.

Últimas Atrações em Roma

Como já dissemos por aqui, Roma tem história em cada esquina. Realmente a Roma antiga nos deixou muitas coisas. Uma atração (caso você se interesse bastante por história) é o Forum Romano. Lá você terá a oportunidade de caminhar por um grande parque com inúmeras ruínas e informações sobre onde foi o coração da Roma antiga tudo a céu aberto.

Arco de Tito (não sei porque dessa cara de mau do Dênis, acho que era fome mesmo rsrs)
Fórum Romano. (Ele é pago e bem grande. Você consegue investir facilmente no mínimo meio dia por aqui)
Quando você pensa que estas construções tem quase 2000 anos começam as reflexões sobre o tempo…

Considerações Finais

Agora voltamos ao título do artigo: Por que a Itália tem mais a oferecer que Roma?

Florença e toda a Toscana, o sul da Itália, Milão, a romântica Veneza  e muitas outras regiões da Itália certamente vão lhe trazer muito mais atrações e beleza que Roma. Se compararmos Roma a outros destinos populares que já estivemos como Paris, Nova York e Londres por exemplo ela fica também um pouco atrás.

Isso não quer dizer que não vale a pena ir para Roma. Afirmamos categoricamente que vale sim!

Se você gosta muito de história, principalmente da Romana será um dos destinos mais marcantes para você. Acreditamos que Roma deve estar dentro do seu roteiro na Europa, mas não deve ser o único. Se você tem 7 dias disponíveis não fique os 7 dias em Roma, pegue um trem para a Toscana ou faça um cruzeiro (leia aqui nosso artigo sobre Cruzeiros). Vários Cruzeiros saem do porto de Civitavecchia e chegam nele também. Nós mesmos pegamos um trem no mesmo terminal da nossa chegada e paramos dentro do referido porto para fazer um Cruzeiro de 7 dias pelo Mediterrâneo que tinha como última parada Veneza.

E então, pronto para conhecer Roma?  Comente esse artigo, siga nosso Instagram ou acesse nosso novo canal do Youtube. Ficaremos muito felizes em interagir e conversar com você sobre viagens ou qualquer outro assunto do seu interesse.

Até Breve

 

Viajantes, Investidores, Apaixonados um pelo outro e pelo Balbo.

Deixe uma comentário